Bem Vindo

Você que está sempre por aqui ou você que chegou agora, fique á vontade pra comentar, criticar, adicionar. Nem só da mente louquinha da autora é que o blog se alimenta!

quinta-feira, setembro 29, 2011

Você é daquelas pessoas cuja imaginação viaja quando sente um cheiro, um sabor, vê um quadro, um filme? Eu sou, e quase  todo mundo é assim, associamos eventos da nossa vida à algo que fazia parte do momento e sempre lembramos exatamente da sensação, como se voltássemos no tempo. Eu tenho o meu perfume (um para o início da adolescência e outro pro final hehehe), alguns lugares da cidade e descobri que tenho também um filme.

Quando Edu era pequeno (agora tem quase 13) ele era fascinado por Toy Story. Fascinado é a palavra pois ele gastou uma fita vhs de tanto que via - um dia parou de funcionar e quando abrimos vimos que estava fina e se rompeu - e compramos outra. Foram tantos momentos vendo esse filme com ele, ou ele vendo e eu fazendo outra coisa que vários momentos ficaram gravados na memória. 

Ele embarcou na história e claro que achava que seus brinquedos tomavam vida quando nenhum humano estava perto, pedia pra mim o carro de controle remoto que aparece no filme (e eu nunca pude dar), tinha as falas decoradas e vibrava nas cenas prediletas. Era um tempo difícil, eu não tinha grana nem carro à disposição para levá-lo a lugares caros então brincávamos muito na pracinha perto de casa, saíamos com os avós e eu procurava lugares possíveis de levá-lo. Praia, caminhadas, casa dos amigos, esse era nosso itinerário. Shopping eu quase não levava, pois frustrar criança não rola. Fora as outras inúmeras vezes que ele deve ter assistido enquanto eu estava no trabalho.

Ontem eu estava passando roupas e coloquei o filme. Todas essas lembranças já ficaram querendo encher meus olhos de água. Foi uma infância fofa, ele não teve várias coisas que as crianças da ápoca tinham e ao mesmo tempo tinha o que mais faz falta a tantas: mãe e pai sempre perto, enchendo de carinho, entrando nas fantasias dele, convivência com família, subia em árvore (até hoje!), aprendeu valores. 


Agora me conta, quando esse menino terminar a adolescência, for homem, como é que eu vou conseguir assistir esse filme?

6 comentários:

  1. Lay, seu post me deu uma paz!!! Eu também acredito que os meus meninos não têm todos os brinquedos com que sonham, não vão aos parques e zoos mais caros, mas eles têm a mim e ao pai (juntos, o que é outro bônus) e eu tenho a honra de vê-los crescer... Isso é que traz memórias pra eles, Lay. E pra gente também :) Nem quero pensar em quando os meus crescerem, melhor nem!

    ResponderExcluir
  2. Oi Lay, vim dar uma atualizada nas minhas leituras, faz tempo que não passo por aqui.
    Poxa Lay, nem fala assim que me dá vontade de chorar também, lembrei de Rubem, ele mau fez três anos mas já sei que vou morrer de saudades. No mesu caso, vou chorar quando ver "sid centista", "meu amigãozão", "a casa do Barney" e tantos outros do discovery kids que ele adora. Mas fazer o que né? todo mundo cresce, tudo muda, só as lembraças ficam......
    Beijão
    Adriana

    ResponderExcluir
  3. Oi Lay, foi um prazer ler esse post, me fez voltar no tempo também. Obrigada pela visita lá no meu blog Mãe de Adolescente, já estou te seguindo.
    Beijo beijo beijo

    ResponderExcluir
  4. ótimom texto, até me deixou mais feliz!!!!

    ResponderExcluir
  5. Cheguei aqui por acaso, sou designer e estava procurando referências de imagens no Google. Bacana seu Blog. Continue escrevendo com o coração, bj.
    Emilio

    ResponderExcluir
  6. Oi,vim conhecer seu Blog,amei e já estou super seguindo,parabêns por seu cantinho e muito sucesso aqui!

    Te convido para conhecer meu Blog e se gostar e puder seguir também,será muito bem vinda,sinta-se em casa!

    Ah,tem sorteio rolando por lá,participa? :)

    Beijinhos no core!

    http://umamulherbemvestida.blogspot.com

    ResponderExcluir