Bem Vindo

Você que está sempre por aqui ou você que chegou agora, fique á vontade pra comentar, criticar, adicionar. Nem só da mente louquinha da autora é que o blog se alimenta!

segunda-feira, dezembro 29, 2008

Lição do Ano


Este blog, se fosse gente, teria uma raiva danada de mim. O trato feito mulher de malandro, usando-o ao meu bel prazer, escrevendo só quando me dá na telha e abandonando-o quando a vida está mais colorida fora do mundo da web.

E este ano, se a vida não esteve colorida 100% do tempo, esteve bem movimentada. O ano passou rápido (todos dizemos isso) e a impressão que dá é que não deu tempo de fazer tudo.  Aliás, este tudo é bem difícil de definir... eu mesma não tinha uma "lista" do que fazer em 2008 (eu já deixei de lado este lance de resoluções de ano novo.) e não farei nenhuma para 2009.

De tudo o que aconteceu de bom e de não-tão-bom este ano (puxa, teriam rendido ótimas postagens!) o que mais levou à reflexão foi a súbita hospitalização de meu maridão. [Meu lindo foi atacado por um enxame de abelhas que lhe rendeu algumas complicações. Agora ele já está bem.]

No mesmo dia do acontecido, enquanto eu pegava umas roupas para levar ao hospital, meu filho estava inconformado com o golpe de azar e perguntava: "puxa, mas por que isso tinha que acontecer logo com meu pai?"

Bom, eu podia responder várias coisas. Poderia usar uns eufemismos e diminuir a seriedade da coisa. Poderia mesmo dar a tradicional resposta que todas as crianças odeiam "é, porque é oras!!!". Preferi ir direto ao ponto: "Edu, aconteceu isso com seu pai porque ele está vivo, trabalha, é saudável e feliz. Essa é a magia da vida: a surpresa. Nem sempre as surpresas são agradáveis, mas se você estiver vivo de verdade, elas acontecem dia após dia."

Seguiu-se um engraçado diálogo:
"Mãe, claro que é vivo de verdade... você tem cada coisa"
"Cada coisa não. Tem gente que não está vivo de verdade. Tem pessoas que não saem na rua, tem medo de tudo, são cheias de fobias, não se envolvem com nada com medo de se machucar. Essas estão vivas de mentira, só não estão mortas porque ainda respiram"
"Hehehe,  eu estou vivo de verdade, vivo me machucando"
"Pois é, e vai se machucar mais vezes, vai ficar doente de vez em quando, vai brigar com alguém. Esse é o encanto. A gente vem pra cá sem saber o que vai acontecer no próximo segundo. Se a gente já chegasse com o script todo pronto, não ia ter graça nenhuma"
"É... é mesmo, não ia ser legal pra gente. Mãe, e quando a gente chegar lá hein, será que o papai vai  poder me ver, será que a gente já vai poder trazer ele pra casa hoje?"
"Como eu disse, isso é surpresa. Quando eu chegar lá é que vou saber."

Ele estava bem, mas depois se complicou e passou uns dias internado, fez até umas hemodiálises. Foi interessante notar que a frase "na saúde e na doença", que os casais ouvem do padre, fez todo o sentido nestes dias. Pensei em descrever para vocês o quanto é válido cuidar de quem a gente ama muito, só pra ter mais certeza do quanto a gente ama muito, mas ia ficar um texto muito cor-de-rosa e floreado pro meu gosto. Até porque o diálogo sobre a vida que eu e Edu tivemos é desses que todos os pais deveriam ter com os filhos - poupa conflitos psicológicos e é verdadeiro.

Ah, e teve a pergunta final:
"Mas mãe... afinal de contas..... assim..."
"Fala menino!"
"O que é script hein?"

____________________________________________________________________

APROVEITANDO....

Pra quem leu o post "Again", aqui vai a attualização, que poderia se chamar Once More:
Meu meninão, incrível, mega, master recebeu pela 3° vez o Top Student lá do curso de inglês dele. Eu não estou besta de orgulho não, isso é invenção do povo...

9 comentários:

  1. Adoro a irreverencia ao escrever seus post !!!
    Com certeza passerei aqui sempre.

    Um abraço do sortudo que foi ver madonna heheheh

    ResponderExcluir
  2. Ahhh , agora eu entendi o Puff rsrsrsr

    Que legal este jeito de olhar a vida. Não chega a ser uma tortura deslumbrada de umas pessoas que parecem aquele livro da Poliana, mas é um jeito de admitir que tudo pode nos acontecer, e é normal.

    Você é Mara mulher!

    Suzy

    ResponderExcluir
  3. Pois eh "boy" (aos que não sabem, eu costumo chamar minha irmã de "boy")...

    O ano foi bem cheio, teve horas q se arrastou um bocado, teve horas q não deu nem p ir digerindo o que estava acontecendo... Mas como diz um certo parente nosso: "entre mortos e ferido, salvaram-se todos".

    O pensamento comum de chegar ao fim do ano e dizer que "este passou voando" ou demais expressões congêneres é típica de quem não soube aproveitar ou de quem não consegue lembrar do que fez. Porque 365 dias dá tempo de fazer bastante coisa!

    Daqui a algumas horas vamos iniciar um novo calendário e cabe a cada dar o devido valor as folhinhas que serão arrancadas.

    Paz e saúde para todos!!! (um pouquinho de sorte para levar o carrinho do Nordestão para casa tb não eh de td mal, ne?!)

    ResponderExcluir
  4. Pois é, este é meu Big Brother, que me chama de "boy". Deve ser porque aqui em Natal a gíria usada pra se referir a alguém mais novo é boy.

    E eu sou a irmã mais mais velha! Só que obviamente com juízo de irmã mais nova...

    ResponderExcluir
  5. È fascinante a forma como voce ve a vida, infelizmente ainda nao sou capaz de trata-la assim.
    Mas tudo bem vejo sempre as coisas com um certo otimismo e o realicionamento que voce tem seu filho... é animador e muito bonito voce deve ser uma otima mae.
    Parabens nao so pelo testo mas por tudo que voce aparenta ser.
    Bom ano novo e tudo de bom pra voce e pra familia

    ResponderExcluir
  6. Gustavo Szilagyi01 janeiro, 2009 20:50

    Quando o sol rompe a barreira do horizonte e dá as claras a cada novo dia, olho para o meu interior e agradeço a Deus por me permitir estar vivo para viver intensamente mais um dia. É mais um dia em que poderei ser filho, pai e marido. É mais um dia em que poderei estar com meus amigos, me divertir no trabalho e com ele me estressar. Porém, como são coisas que fazem parte de nossas vidas, agradeço sempre por estas oportunidades de aprender e amadurecer.
    Ser marido de Layana e pai de Eduardo não é fácil, requer estudo, uma pós-graduação e muitas horas de leitura... (hehehe).
    Ser feliz com eles faz parte da obviedade da vida que me foi ofertada a quase 30 anos... e como feliz sou!
    Durante o ataque daquelas centenas de abelhas, temi por não poder mais agradecer ao senhor pela vida que ele havia me presenteado. Temi por não poder viver mais intensamente cada minuto de mais um dia, e poder olhar nos olhos de meus amores e dezer-lhes o quanto os amo!
    Como "minha hora" não havia chegado e como vivo com muito amor e felicidade cada minuto de minha vida, seja na felicidade ou na tristeza, na saúde ou na doença; fui presenteado mais uma vez pelos meus anjos da guarda e pelo nosso pai por mais um dia de vida, e outro, mais outro... e pelo dia de hoje, o que me permite estar aqui comentando no blog de meu amor.
    Não vivo por que sou feliz. Sou feliz, por isso vivo! A felicidade está dentro de cada um de nós. Para encontrá-la, temos de buscá-la em nosso interior. Temos de crer que podemos ser felizes, mesmo diante as mais difíceis situações e adversidades.
    No hospital, enquanto moribundo estava em um leito "sem cor", fazia piada da situação, sorria e tirava de cada enfermeira, médico, nutricionista ou ASG um sorriso.
    Ahhh, meus amigos. A magia de um sorriso... vocês sabem quanto vale um sorriso para quem está doente?!
    Experimente! Olhe-se no espelho e sorria para você mesmo.
    Seja feliz, e viva intensamente cada dia como se fosse o último. Garanto que vocês não irão se arrepender.

    ResponderExcluir
  7. Por que eu sou tão besta e chorei com quase tudo hein???? Aff... gosto nem de lembrar da hora q recebi a notícia do q tinha acontecido... mas graças a Deus tudo está nos conformes novamente e muitas outras histórias compartilharemos.
    Ahhh e deixar aqui tb registrado os meus parabéns pro meu Afilhado Top Student...hehehe... mas já dei um beijo nele pessoalmente qdo ele me contou.

    ResponderExcluir
  8. Ei, não fui às lágrimas (porque, afinal, sou homem...), mas fiquei tocado pela sua reflexão. Que 2009 nos traga outros tipos de fortes emoções. Abração. Solon.

    ResponderExcluir
  9. Poxxa tah sumida hein !!!
    no more post ??

    ResponderExcluir